Marconi ‘Underwood’ Perillo

under1c

As semelhanças entre o governador de Goiás e o personagem de Kevin Spacey na série ‘House of Cards’

Francis Underwood - 56 anos

Situação atual: Com a renúncia do presidente dos EUA, o “democrata” assumiu o cargo mais poderoso do planeta em um mandato tampão. Seu objetivo maior é vencer as eleições presidenciais em 2016.

Origens: O pai de Frank Underwood não teve condições de pagar sequer o próprio funeral e a família sempre viveu com muitas dificuldades financeiras. Passou a infância em Gaffney, cidadezinha de 12 mil habitantes na Carolina do Sul.

Primeira-dama: Claire Underwood provém de uma família abastada e influente do Texas. A personagem interpretada por Robin Wright revela que a primeira campanha do marido contou com apoio político e financeiro do seu pai. Ela comanda uma ONG ambiental e, com a ascensão do marido, tornou-se embaixadora dos EUA.

O plano espetacular: A fim de conquistar popularidade para a eleição presidencial em 2016, Frank lança o America Works, um programa de criação de 10 milhões de empregos com recursos de um fundo emergencial para catástrofes naturais. Ele gosta de comparar o ‘AmWorks’ ao New Deal, série de programas implementados por Franklin Roosevelt para tirar os EUA da Grande Depressão na década de 1930.

Ambiguidade: Para se tornar presidente dos EUA, Frank Underwood não precisou de um voto sequer. Bastou derrubar o vice e, em seguida, causar a renúncia do presidente até assumir ele mesmo o Salão Oval da Casa Branca. Detalhe: ele era “aliado” do governo. Nesta crítica rasgada à democracia norte-americana, ninguém confia em ninguém, muito menos em Frank Underwood.

Marconi Perillo - 52 anos

Situação atual: Em seu quarto mandato como governador, Marconi já conquistou tudo em Goiás. O plano do tucano é se candidatar à presidência (ou vice) nas eleições presidenciais de 2018.

Origens: O pai de Marconi Perillo sustentava a família com um pequeno armazém em Palmeiras de Goiás, município a 72 km de Goiânia com 23 mil habitantes. A mãe era dona de casa.

Primeira-dama: Natural de Pirenópolis, Valéria Jaime Peixoto Perillo descende de uma família tradicional de políticos em Goiás. O clã possui ex-secretários de Estado, presidentes da Assembleia Legislativa, deputados e intendentes. Ela presidiu por dois mandatos a OVG (Organização das Voluntárias de Goiás).

O plano espetacular: Marconi acaba de ser eleito o primeiro presidente do Consórcio Brasil Central, bloco político-econômico com seis Estados. A intenção do tucano é se gabaritar como líder nacional do Centro-Oeste para concorrer à presidência em 2018. A ideia é fomentar o desenvolvimento do centro geográfico para as demais regiões, com inspirações em Juscelino Kubistchek e Getúlio Vargas. O grupo responde por 30% da produção agropecuária e promete uma alternativa para controlar o desemprego e a inflação em todo o país. O goiano também tem um trunfo no Nordeste: criou o Renda Cidadã, que foi usado por Lula para criar o Bolsa Família.

Ambiguidade: Marconi pode ser candidato tanto da base de Dilma Rousseff quanto do PSDB de Aécio Neves. Maluquice? De jeito nenhum. O tucano apoiou Aécio em 2014, mas foi o primeiro governador a receber a presidente publicamente em seu Estado. Para os governistas, ele é aliado. Para a oposição, também.

 

Seis graus de separação

Segundo uma teoria surgida nos EUA que virou até filme, qualquer um está a apenas seis apertos de mão de qualquer outra pessoa do mundo. Nesta edição mostramos o que separa o presidente da Câmara e…você!

grauscunha

O controverso presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, foi presidente da Telerj, antiga empresa de telecomunicações do Rio de Janeiro de 1991 a 1993. Foi lá que ele conheceu a atual esposa:

grausclaudia

A jornalista e ex-apresentadora da TV Globo Cláudia Cruz. Era dela a voz na gravação telefônica que informava ao usuário que o número que ele chamava estava ocupado. Em 1999, ela moveu um processo por uso indevido da famosa gravação na música “2345 meia 78”, de autoria de…

grausgabriel

Gabriel, o Pensador. O rapper, que fez show em Rio Verde em novembro e é o atual entrevistado da King, foi lançado ao sucesso com “Tô feliz (Matei o Presidente)” no início dos anos 1990. A música foi censurada e a letra falava de um jogo de futebol em que a “bola” era a cabeça do…

grauscollor

Então presidente da República, Fernando Collor de Melo. O ex-caçador de marajás voltou à vida pública e é senador por Alagoas desde 2007. Em 2011, a Câmara Municipal de Rio Verde aprovou a outourga do título de cidadão rio-verdense ao ex-presidente.

grausoduvaldo1

A homenagem foi do vereador Oduvaldo Ribeiro, em razão dos “relevantes serviços” de Collor a Rio Verde.

grausvoce

Você, que pagou tudo!

Seja o primeiro a comentar