Candidatos “empobrecem” de uma eleição para outra

eleicoes-2014

Casas, apartamentos e carros sumiram da declaração de bens de políticos de Rio Verde

Carros, casas, apartamentos, participações em empresas, dinheiro no banco e até fazendas simplesmente desapareceram da declaração de bens de candidatos rio-verdenses às eleições deste ano. Fenômeno raro na política, o “empobrecimento” atingiu candidatos a deputado estadual e federal de vários partidos. Segundo informações prestadas por eles mesmos à Justiça Eleitoral, para muitos não restou absolutamente nada.

Um dos casos que mais chama a atenção é o da vereadora Náudia Faedo (PT), que vem perdendo patrimônio a cada eleição. O total de bens da petista, que era de R$ 615 mil em 2008 e tinha caído para R$ 173 mil em 2012, chegou a zero na atual disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados. Candidato à Assembleia Legislativa, o vereador Elecir Casagrande (SDD) chegou a informar um patrimônio acumulado de mais de meio milhão de reais em 2010 em imóveis e veículos, mas desta vez declarou não ter uma bicicleta para andar.

Candidato à reeleição, o deputado estadual Karlos Cabral (PT) também informou não possuir absolutamente nada. No pleito para prefeito dois anos atrás, o total de bens do parlamentar era de R$ 357 mil. Até mesmo quem sempre pregou a prosperidade agora se apresenta financeiramente na lona. Famoso pelo slogan “Deus te abençoe e enriqueça”, o pastor Wagner Azevedo (PRP) parece ter ficado sem nada. Conforme dados do TRE, o candidato a deputado estadual deu adeus a casa, carro e duas motos da eleição de 2012 para a atual.

A “penúria” é maior para os candidatos a deputado estadual Caxotinho (PSB) e o vereador Iturival Nascimento (PTB). Ambos declararam pela segunda eleição consecutiva não possuírem nem um passarinho para dar água.

Seja o primeiro a comentar